Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

RIR É BEM MELHOR!!!

A MENTE TAL COMO OS PÁRA-QUEDAS FUNCIONAM MELHOR QUANDO ABERTOS!

A MENTE TAL COMO OS PÁRA-QUEDAS FUNCIONAM MELHOR QUANDO ABERTOS!

Numa manhã de domingo...

...desci a rua calmamente sem destino definido.
Parei no quiosque para ler as “gordas” dos jornais diários e das revistas semanais, expostos, mas sem verdadeiramente ver o que estava lendo; notícias desinteressantes o/ou alarmantes, e mexericos da burguesia que interessariam mais aos visados do que à maioria da população, ainda que, estupidamente, essa maioria de dispusessem a comprar essas mesmas revistas. Vá lá saber-se a razão; possivelmente alimentar-lhes-ia o ego, ou pura e simplesmente a curiosidade …
Ocorre-me uma entrevista televisiva a que tive oportunidade de assistir na qual um editor de uma dessas revistas para homens afirmava: desde que me iniciei nesta actividade e comecei a ler esses artigos, passei a gostar mais de mim! (?)
Que diabo de coisa esta; então o sujeito não teria espelhos em casa?, nem se teria visto numa fotografia?, teria que ler prosas superfluas e ver fotografias fabricadas para, qual Narciso, passar a gostar mais dele mesmo?
Qual será o conteúdo do craneo de uma destas pessoas, para além dum sistema nervoso?
Será que possuem um cérebro em plano inclinado por onde os pensamentos desli-zam sem deixar rasto?
Será que nem um resquício permanece?
Será que cada revista sobre a qual se “debruça”, é uma espécie de lago o qual lhe transmite a formula: não ha mais belo do que tu… ?
Será que são tão castrados de pensamento que assumem serem melhores unica-mente porque se sabe serem habituais compradores dessas revistas e que esse facto, só por si, os obriga a serem melhores?
Será que não conseguem “ver”, e verem-se, para além disso?
Será que não querem ver para além disso?
Será que isso lhes dá um melhor (e maior) estatuto perante a “vulgaridade dos seres menores” que não compram nem leêm essas revistas?
Será que se sentem maiores porque as compram e que ao exibi-las “desplicentemente” dobradas sob o braço, se sentem fazerem parte de um mundo superior?
Será?
Será que são tão imbecis assim?
Ou será que são tão somente, imbecis?
Questiono-me ainda sobre o que produzem.
E produzem?
O quê, para além de futilidades?
Interrogo-me: que tipo de sociedade nos espera, dirigida e/ou influenciada por seres humanos deste teor?

2 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D