Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

RIR É BEM MELHOR!!!

A MENTE TAL COMO OS PÁRA-QUEDAS FUNCIONAM MELHOR QUANDO ABERTOS!

A MENTE TAL COMO OS PÁRA-QUEDAS FUNCIONAM MELHOR QUANDO ABERTOS!

A CAÇA aos POKÉMONES

Para início de conversa devo declarar que nunca cacei nenhum e não estou com ideia de o fazer. Mas toda esta febre de caçá-los por tudo quanto é sítio parece-me um avanço relativamente ao passado recente dos jogos juvenis, porque...

Porque eu fui do tempo em que a rua era o parque de jogos da canalha miúda, ou seja, a rua foi predecessora dos pavilhões multiusos, dos campos de futebol pelados, das corridas  por estafetas (com os lenços à laia dos actuais testemunhos no atletismo) entre outras actividades.

Com a chegada de jogos a dois: eu contra o virtual, não era preciso sair de casa. Era eu e a consola!!!

Surge agora a caça aos pokémones para o que não são necessárias outras armas para além de (tanto quanto sei) um TM devidamente actualizado;

a inovação é obrigarem-vos a sair de casa, sós ou em grupos, e fazer-vos andar na tentativa de apanhar os gambozinos os pokémones que aguardam estáticos, não importa onde, predispostos a serem caçados. Isto é bom?, é mau?, não sei; mas se vos ajuda a sairem do sofá já é um bom começo...

Já pensei: pode acontecer ter algum cá no galinheiro.

Fica o aviso na porta (just in case):

A VIAGEM da TERRA para LISBOA

Eu e as minhas manas viemos da terra para Lisboa. Ainda era noite quando apanhámos boleia numa camioneta de carga. Viajámos entre couves, nabos e sacas de feijão verde, bróculos, tomates e alfaces frescas. Não era muito confortável mas à falta de melhor, sujeitámo-nos.

Vinhamos com grandes perspectivas, muito confiantes de termos mais oportunidades na Capital do que na terra. E foi verdade, já que nesse mesmo dia encontrámos lugar para todas nós na cozinha um restaurante finíssimo onde nos distribuíram pelos diversos departamentos: o das saladas, o das sopas, o das sobremesas e até para a secção dos pickles foram algumas.

Resto eu, esquecida a um canto. Ainda não me deram destino, mas não estou preocupada; se não foi hoje amanhã será!

Eu e as Manas, »» AQUI

The Tall Ships Race - 2016, full sail -1

Ontem palmilhei alguns kilómetros para fotografar veleiros (escunas, barcas e bergantins) e também uma remessa de gente que lá andava ao mesmo. Por entre mastros, vergas e velas recolhidas, muita gente em grandes bichas decididas a embarcar para visitar o Cuauhtemoc/México e o Simon Bolivar/Venezuela, entre outros, Polacos, Ingleses, Alemães e Holandeses. E Portugueses, evidentemente!

A longa bicha para embarcarMastros e vergas em descansoMarinheira polaca às voltas com um nó

Américo Vespúcio lembra a América?Lembranças de outros temposLegendas? Basta poisarem o cursor sobre as fotos.

Hoje, dia em que vão d'abalada lá estive à beira Tejo para os caçar com a objectiva (e alguma habilidade).

Creoula e Cauathemoc zarpando Atyla de Vanuatu, muito longe de casa Américo Vespúcio de saídaMais imagens "caçadas" mostrando outras perspectivas e outros olhares.

Mirones à caça de boas imagensPanorâmicaE subitamente TRAFALGARBoa ideia mal executadaFragata portuguesa de gema

Pena de morte!!! A SÉRIO?

Em Bruxelas a chefe da diplomacia da União Europeia -Federica Mogherini- avisou que nenhum país se tornará membro do espaço comunitário, se introduzir a pena de morte!, disse em resposta a uma questão posta em conferência de imprensa, a propósito da actual situação na Turquia (leia-se: Turkey).

APOIADO !!!

 gritaram em uníssuo all the turkeys (leia-se: todos os perús).

ilustração copiada de: agrobrasiltv.com.br

COM CALOR...

... uma refeição fria Algarvia.

Carapaus (ou charrinhos) alimadosSão carapaus (na minha terra chamados de charrinhos e noutras também lhes chamam jaquinzinhos, mas só muda mesmo a alcunha porque a pessoa é a mesma). Há quem prefira uma salada de lagosta ou uns camarões "al'alho". Eu também gosto mas hoje "vou" nuns charrinhos alimados.

Para mais informações basta 1 clik na foto!

 

O REGRESSO A CASA

Ainda sob efeitos anestésicos, eis-me novamente em casa e, acreditando na

palavra do sôdótôr, estou como novo. O diagnóstico (pelo que ouvi dizer) indiciou alguma gravidade mas longe de ser fatal, pelo que tudo se resolveu com transplantes, uns dois ou três, uma desobstrução das coronárias e o tratamento de duas unhas encravadas na usb do lado esquerdo. O Kok não está muito convencido e não pára de se lamentar pelos €uros que dispendeu, mas eu... nem quero saber!

ilustração copiada de: venturapc.no.comunidades.net

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D