Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

RIR É BEM MELHOR!!!

A MENTE TAL COMO OS PÁRA-QUEDAS FUNCIONAM MELHOR QUANDO ABERTOS!

A MENTE TAL COMO OS PÁRA-QUEDAS FUNCIONAM MELHOR QUANDO ABERTOS!

DESCOBERTAS

"Descobri" um restaurante onde o prato principal é a conversa com o seu proprietário e não tanto o que vem da cozinha para a mesa (que não desmerece). É o Restaurante Central em São Pedro de Moel, ali quase ao pé do acesso à praia, junto à casa museu Afonso Lopes Vieira.

 

O dono (que exibe dois olhos azuis que fazem a delícia de muitas das suas clientes), ali nascido e criado à mais de meio século, é um cativante contador de histórias e também da história desta vila, povoação muito antiga eventualmente povoada por árabes e também por fenícios no tempo em que Cristo ainda nem sonhava descer à terra!

Há muitos motivos para visitar S.P.Moel e este espaço é seguramente um deles, mais ainda se acreditarem ser a conversa a melhor sobremesa!

4º ENCONTRO

Mal comparado (ou quem sabe, não) a coisa começa a assemelhar-se a uma peregrinaçõn apesar do número dos "peregrinos" ser inconstante e dos locais das romarias não se repetirem.

Sendo um encontro almoçarado à que fazer jus aos ausentes ingerindo sem parcimónia o que nos aprouver, em sua honra e lembrança. E VIVA aos presentes, que também merecem!!!

Ondas em São Pedro de Moel

a mesa das entradasquem fotos tira, fotografado fica

MENTECAPTO*

Na opinião do dicionário da Porto Editora:

* mentecapto, do latim tardio: mente captu,= privado da mente!

1- adjectivo, nome masculino:

1.1- aquele que predeu o uso da razão; alienado.

1.2- tolo, parvo, inepto.

poderá dizer-se, e com toda a razão, que nesta ilustração (copiada de maryvillano.blogspot.com), além de mentecapto também é bêbado; mas isso não está em consonância?

E porque é que escrevo sobre isto? Porque me apetece poderia ser (e é) uma das razões mas também porque estou cansado (leia-se farto) de ouvir repetidamente os discursos mal amanhados dos locutores de serviço nos programas televisivos, quer sobre os gastos telefónicos, (x% + iva) quer sobre os benefícios imaginários daí conseguidos, caso sejam escolhidos alietoriamente pelo computador. Pergunto-me: se (por absurdo) estivessem 30 locutores em serviço simultaneamente, todos teriam que debitar a mesma cantilena? Seria um programa televisivo pouco diversificado e completamente parvo! Esta semana gastei uns €uros no euromilhões (10 apostas + habilitar-me ao milhão semanal) e não me perguntaram se eu tinha a certeza de que poderia gastar "tanto" dinheiro, ou se não seria melhor fazer só uma ou (vá-lá) 2 apostas. Não sei quem nem porquê, alguém considerou que obrigar todos os locutores àquela sistemática repetição de alertas, completamente inócuos, seria uma coisa boa. Posso estar errado mas na minha opinião é obra de 1 mentecapto; (ou mais)!

14 de Outubro, dia mundial do OVO!

15 ovosSoubemos hoje (só hoje) que hoje é o dia mundial do ovo. Evidentemente que o facto causou um enorme alvoroço na capoeira com todas as galinhas a cacarejarem em simultâneo mais os pintos, que mesmo não sabendo o porquê da tanta algazarra, juntaram-se à festa e piaram, piaram, piaram, até mais não poder ouvir tanta piadela. Vai daí pirei-me na procura de algum sossego... Eu e mais estas duas amigas...

O Galo e as suas galinhas(Ovos há muito quem os ponha: todos os pássaros, as patas e as perúas, e até as cobras, as tartarugas e os caracóis; ainda assim não entendo o alarido a coisa. Será porque nunca tenha posto um? Talvez...)

6º ANIVERSÁRIO da MIGAS

Nasci "hoje" em 2010. O hoje foi a 4 de Outubro e não o hoje propriamente dito. Mas o meu tutor anda p'ráí embrulhado com tantas preocupações (diferentes das minhas que se resumem a ter ração e água a tempo e horas e à cama sempre pronta), que quando dá por isso a data das festividades já lá vai...

Esta sou eu, a MigasMas enfim, apesar de desléxico com datas e números e de me assustar algumas vezes quando grita exasperado com a televisão durante os noticiários, vociferando impropérios (cujos significados eu desconheço),  ele até nem é má pessoa. Gosto dele, pronto! A continuar assim por cá vou ficando.

SETE É "O NÚMERO" de SUCESSO

Dizer que a história se repete não é novidade. E também não o é na área da 7ª arte, sobretudo quando se descobre um filão de sucesso (mais ou menos) garantido como, por exemplo: Os 7 Samurais de Akira Kurosawa, de 1954, filme a que (confesso) nunca assiti.

E por isso "os meus 7 Magníficos" são outros; são os de 1960, de John Sturges, que reuniu muitos dos actores que à época eram dos mais "badalados" e que ainda hoje continuam sendo os meus preferidos; (o facto de já terem morrido é irrelevante).

Eis que nova versão acontece,  realizada por Antoine Fuqua. Quero ver e quero não me desiludir porque este (não sendo "O"  tal filme), é um dos filmes "da minha vida."

MARKETING GALÁCTICO

A China  construiu o maior telescópio (nem sei se o nome é o correcto) para detectar a existência (ou não) de seres extra-terrestres. Eles existem? Sei lá eu...? Nem sei eu e nem eles (os chineses) sabem.

Por quererem saber, construiram este "coiso", talvez sugestionados pela ideia do filme de Mr. Spilberg, misturando ficção com realidade. Não sendo eu muito dado a estas chinesices, também não rejeito a existência de seres que, noutras galácticas, tenham o seu feliz modo de vida. Se (e quando) cá chegarem decerto que se arrependerão; mas a gente é sempre cheia de boa vontade para com os turistas e eu não sou diferente. Mas ficam já a saber: só posso disponibilizar um sofá para dois seres (chamar-lhes duas pessoas talvez seja abuso). Estou crente, porém, de que todos chegarão com o necessário para obterem vistos gold e com ideias para criarem milhares de empregos. Por outro lado, talvez tudo isto não seja mais do que uma tentativa dos chineses estabelecerem contactos priveligiados para implementarem novas redes de lojas intergalácticas.

DIFERANÇAS & DISTÂNCIAS

A "distância" de milhares de anos é a diferença menor entre um e outro destes Sócrates. Também é diferente a cicuta que optaram por digerir em presença da (in)justiça. Ambos reclamaram-se inocentes. Um assumiu a não culpa, consciente de ser inocente do que o acusavam; o outro, afirmando-se vítima de complots, brada aos 4 ventos não ser culpado de nada.

Aquele, consciente de estar inocente, preferiu bebê-la em vez de se sujeitar às infâmias que contra ele fabricaram. Este esperneia, insurge-se contra tudo e contra todos, apesar das muitas evidências (algumas já admitidas, segundo consta). Cada um "bebe" a cicuta que merece.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

A PROPÓSITO...

A propósito desta notícia sobre sexo (e da sua abstinência) antes do casamento, apetece-me dizer coisas (mesmo sabendo do pouco ou nenhum interesse que têm). Os encontros íntimos sempre aconteceram antes do (que depois se designou como) casamento. Lembrar que reis e demais fidalgos, senhores da lavoura e donos de condados, padres, bispos e outros clérigos, tiveram filhos bastardos não é novidade. Mas isso já lá vai (??); toda esta lenga-lenga é só para sublinhar que o casamento é um contracto escrito, um produto moderno que nos termos e concepções actuais não terá mais do que 3 séculos (ou nem tanto, digo eu).

Continuando. No desejo de poder de alguns aliado à sua ganância, logo perceberam o quanto podiam ganhar com isso e, vai daí, proclamaram: se lhe queres saltar para cima tens que casar; e para casares tens que pagar um dote que eu (o tal algum) receberei em nome de Deus, (pois claro).

E é aqui que Deus toma parte no investimento mas numa situação de não executivo, porque na verdade nunca recebeu um tusto (outra desconfiança minha), das muitas contribuições que foram (e continuam sendo) pedidas em seu nome.

Ainda a ter em consideração o seguinte: essas ideias de se guardar para depois (não se sabendo quando nem se chegará a acontecer), é muito interessante (??) mas, tal como a fruta está sujeita à passagem do tempo, também a coisa pode murchar, pode enrrugar e criar bicho, e pode até ser comida por um estranho "en passant".

Eu, caso professasse nalguma fé seria mais pela grega, com Zeus (progenitor de outros deuses, filhos de diversas mães), e com a Afrodite que tanto convivia com os deuses no olimpo, como com os simples mortais que lhe caíssem no leito.